O que está disponível com a Reforma da Previdência no Brasil?

a feira,2 de outubro, o Senado previa2 o governo brasileiro ampla reforma do sistema por uma margem de 60 19. O ministro da Economia do Brasil, Paulo Guedes, disse que o governo está muito feliz com os resultados e o governo que o Congresso fez “um belo trabalho”. O senador Davi Alcolumbre, presidente do Congresso Nacional, aplaudiu o esforço afirmando: “O Congresso brasileiro, sustentando a maior reforma previdenciária da história”.  Diz a equipe Gazeta Mineira. Aqui estão alguns dos benefícios que você pode obter lendo jornais diários.

O presidente Jair Bolsonaro não foi aprovado ao Congresso em 2000. de fevereiro. A proposta feita pelos deputados e melhor como original, proposta pelos Deputados e pelo Senado da Câmara. A reforma política será promulgada diretamente pelo Congresso (provavelmente em novembro) e entrará em vigor a partir de então, marcando a primeira vitória importante do governo.

A reforma é pelos analistas como a primeira de uma série de reformas estruturais para colocar o país como um crescimento econômico mais alto e sustentável. Reformas administrativas e tributárias muito mais complexas vêm a seguir, segundo o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. O deputado carioca, de 49 anos, foi creditado como o arquiteto político da reforma previdenciária e emergiu do processo como um líder avançado e consequente, apelidado pela mídia de “primeiro-ministro” do Brasil.

A reforma pública previdenciária do Brasil vai receber diretamente 72 funcionários do setor, e entre os trabalhadores do setor série de requisitos para uma mudança mais notável e um projeto privado de uma idade mínima para trabalhadores do setor agora 65 para homens e 62 para mulheres, acima das médias de 56 e 53, segundo a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). As exigências de contribuição e idade mínima mudam em profissões principais, trabalhadores rurais, professores e funcionários.

O governo prevê economia de R$ 800 bilhões (US$ 197 bilhões) na próxima década como resultado da reforma, abaixo dos R$ 1,2 trilhão (US$ 290 bilhões) compatível pela equipe econômica de Guedes em fevereiro deste ano. O valor dos homens recebidos que são recebidos e os anos médios de contribuição, sendo o salário recebido15 anos para receber 60% do salário; e aqueles que trabalham o máximo – 40 anos para homens recebem e 110%.

Este este é necessário para o presidente e o ministro Bolsonaro como reforma para o lançamento do projeto brasileiro restabelecido ainda como uma série de medidas de economia adicionais e aprovados.  

RASTREADOR DE REFORMA DA PENSÃO DE 2019

No Brasil, uma emenda constitucional (PEC) é necessária para modificar como leis previdenciárias porque o direito aos benefícios de aposentadoria está consagrado na Constituição de 1988. Como resultado, o Congresso deve realizar várias votações de comitês e, finalmente, Cinco quintos do Congresso (308 votos na Câmara e 49 votos no Senado) vote a favor da reforma – e a reforma da Previdência é quase semper impopular . Uma vez aprovada pelas duas câmaras, porém, a proposta não segue para sanção ou veto do presidente; é promulgada diretamente pelo Congresso. 

Leia “O caso da reforma previdenciária no Brasil: um sistema de aposentadoria desigual e esgotado à beira do recolhimento”.

Fonte de reprodução: Adobe Stock

23 de outubro de 2019

  • Após oito meses, desde sua chegada à Câmara em fevereiro, o Congresso aprova a reforma da previdência com a última votação do Senado sobre as emendas.
  • O texto aprovado será agora promulgado pelo Congresso. As novas regras de retirada de entrada em vigor na data de sua promulgação, com exceção das alíquotas de contribuição, que passam a vigorar após 90 dias.

22 de outubro de 2019

  • O Senado aprova o texto principal da reforma previdenciária (mudanças para servidores públicos e trabalhadores do setor privado) por uma margem de 60 a 19.
  • O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, suspende o debate sobre emendas e convocação de uma sessão para encerrar uma votação em quarta-feira, 23 de outubro.

1º de outubro de 2019

  • O Senado do Brasil aprova o texto principal do projeto de reforma da Previdência em primeiro turno , com 56 votos a favor, 19 contra uma abstenção, após a aprovação da CCJ do Senado no início do dia.
  • Uma emenda que reduziria os pagamentos de bônus de final para mal pagos foi rejeitada. 
  • Os senadores retomam o debate na próxima semana, na esperança de o projeto para um segundo turno e votação final até quinta-feira, 10 de outubro. 

4 de setembro de 2019

  • A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprova o relatório do senador Tasso Jereisati sobre a reforma da Previdência por 18 votos a 7. A medida seguirá agora para o plenário do Senado. 
  • comissão também pela criação de projeto de lei que incluiria os sistemas de previdência estadual e municipal, com previsão de economia de R$ 350 milhões de anos aos governos locais (em US$ 10 milhões aos governos locais). 

13 de agosto de 2019

  • Líderes partidários do Senado  finalizam um cronograma para o processamento da proposta de reforma da Previdência na Câmara e estimam o projeto passará pelo primeiro turno de votação no plenário em 18 de setembro, seguido de um segundo turno em 2 de outubro.
  • Em paralelo ao projeto, o senador Tasso Jereissati, diz que o texto aprovado pela Câmara dos Deputados é “ótimo” e quaisquer alterações adicionais devem ser feitas por uma emenda (PEC), para evitar o retorno do projeto à Câmara dos Deputados para Reveja.

6 de agosto de 2019

  • A reforma da Previdência é aprovada em segundo turno na Câmara dos Deputados, com 370 votos a favor e 124 votos contra.
  • A votação a votação das emendas será proposta ao presidente da votação das emendas, Rodrigo Maia, o dois após a votação da Câmara, Rodrigo Maia. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, estima que a votação na Câmara comece dentro de 5 a 60 dias
Fonte de reprodução: Adobe Stock

10 de julho de 2019

  • A Câmara dos Deputados aprova o texto principal do projeto por uma margem esmagadora, 379 a 131, após nove horas de debate na quarta-feira.
  • O Congresso considera as emendas . Após as emendas, o texto completo deve ser após o recesso de uma segunda votação, que deve ocorrer em agosto, após o recesso31 de julho.

4 de julho de 2019

  • Reforma da Previdência é aprovada na Comissão Especial da Câmara, com 36 votos a favor e 13 votos contra. A votação do Comitê Especial foi um grande desafio para o governo e se arrastou por dois dias.
  • Foram propostas emendas para excluir os professores da reforma e flexibilizar como os agentes de segurança pública. Ambos foram derrotados.
  • O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse esperar que a Câmara dos Deputados comece a votar o projeto de reforma da Previdência na terça-feira, 9 de julho . A reforma da Previdência precisa de pelo menos 308 votos em dois turnos, ou equivalente a três quintos dos deputados na Câmara.

28 de maio de 2019

  • A bancada feminina formou um grupo de trabalho para estudar o impacto da proposta de reforma previdenciária sobre as mulheres. O grupo elaborou  quatro emendas : para a idade mínima de aposentadoria (incluindo um mínimo e menor para trabalhadoras rurais), cálculo de benefícios, direitos de maternidade para trabalhadoras e pensão por morte.
  • Existem atualmente 54 alterações propostas perante uma comissão especial, 17 dos quais relacionados à segurança pública. O número de emendas, já que os deputados de maio aumentar podem aumentar até 30 para apresentar suas mudanças. 

8 de maio de 2019

  • O ministro da Fazenda, Paulo Guedes , participa da audiência pública na Comissão Especial da Câmara, argumentando que o atual sistema previdenciário cria privilégios e é insustentável. Segundo Guedes, a aprovação de sua reforma vai gerar R$ 1.236 trilhão (US$ 309 bilhões) em economia e estimular uma economia. Afirma ainda que a proposta permite a criação de um sistema de capitalização, em que cada pessoa tem uma conta de economia e tem como garantia de pagamentos futuros de pensões.
  • O secretário de estudos Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, apresentou e explicou como projetado e do governo, defendendo que a proposta promove o impacto da equidade, gerará o fiscal positivo e combaterá a fraude.
  • Os partidos minoritários manifestam os partidos preocupados com o sistema de capitalização e dúvidas sobre o impacto positivo que a reforma deve ter na economia. Além disso , 113 partidos pensados ​​na proposta sobre pensões rurais, para pessoas com deficiências de cuidados, têm a intenção de planejar.

7 de maio de 2019

  • A Comissão Especial da Câmara começa a analisar o mérito do projeto de lei. Serão 11 audiências públicas com cerca de 60 convidados para contestar o tema da previdência e reforma proposta. O presidente da comissão, Marcelo Ramos, diz que vai trabalhar para aprovar o projeto e entregar sua análise ao plenário da Câmara julho. 
  • Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) indica que a quantidade de pessoas que acredita ser necessária a reforma da Previdência  aumentada para 72% em 2019, de pessoas 65% em 2015. No entanto, apenas 39% das pessoas são a favor da proposta atual , e apenas 36% dos projeto afirmaram entender os principais pontos da reforma da previdência.

23 de abril de 2019

  • Após 62 dias, a CCJ da Câmara aprova a proposta de reforma da Previdência por 48 votos a 18. Não houve abstenções. O projeto foi aprovado com pequenas, após a retirada de quatro elementos do texto.
  • A proposta a seguir agora para a Comissão Especial da Câmara para análise e discussão.
Fonte de reprodução: Adobe Stock

17 de abril de 2019

  • O artigo da Câmara adia a reforma por mais uma semana.
  • Projeto de aprovação total do projeto de pareceres pela aprovação de vários projetos aprovados para aprovação do projeto.
  • Líderes do centro político exigem que cinco pontos sejam retirados da proposta: 1. a mudança nas regras sobre o salarial; 2. a alteração da idade de aposentadoria compulsória dos ministros do STF; 3. a alteração do foro utilizado nas ações contra o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social); 4. a mudança no FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e 5. a mudança que retirou as regras de aposentadoria da Constituição Federal.
  • O líder do PSL na Câmara, Delgado Waldir, que simplificar o adiamento seja uma simplificação. Ele afirmou que faz parte do processo para que o projeto chegue à sua melhor versão.

1º de abril de 2019

  • O ministro da Fazenda, Paulo Guedes, participará da audiência pública na CCJ na quarta-feira, 3 de abril, para explicar a proposta à comissão. Francischini estima que a CCJ deve então votar a proposta até 17 de abril.
  • Apesar do conflito político ocorrido na semana passada, o apoio à reforma previdenciária na Câmara dos Deputados cresceu 15% nas últimas semanas, com base no monitoramento do Atlas Político. São necessários308 votos para aprovação, mas 199 representantes responsáveis ​​indecisos. 

20 de março de 2019

  • Ao retornar a Brasília, o presidente Jair Bolsonaro entrega ao Congresso a proposta de aposentadoria dos militares. A a alteração do número de filhos, uma alteração do número de filhos dependentes e dependentes de idade prevê uma dependência de um imposto de dependência de anos sobre a brutalidade dos militares dos anos em todos os dependentesA expectativa é que o governo economiza R$ 10,45 bilhões (US$ 2,77 bilhões) em 10 com as mudanças. A proposta completa (em inglês) pode ser lida aqui.

13 de março de 2019

  • A Câmara dos Deputados cria sua Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para analisar a proposta do governo de reforma previdência brasileira, o deputado federal do primeiro mandato Felipe Francischini (PSL-PR) é eleito o novo presidente da CCJ. A Comissão tem cinco sessões para contestar a proposta. 
  • O Ministério da Defesa apresenta ao Ministério da Fazenda uma proposta de pensão militar. As tentativas na proposta são agressivas para os civis. O ministro da Defesa, general Azevedo e Silva, confirmou que o texto final será enviado ao Congresso no dia 20 de março.  

26 de fevereiro de 2019

  • Pesquisa de opinião   divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) aponta que 45,6% da população rejeita a proposta de reforma da Previdência e 43,4% aprova. A votação foi realizada em 137 municípios de todos os 25 estados.
  • Bolsonaro faz reunião com lideranças partidárias para contestar a proposta. 
Fonte de reprodução: Adobe Stock

20 de fevereiro de 2019

  • O presidente Jair Bolsonaro entrega ao Congresso o tão esperado projeto de reforma da Previdência. A  apresentação  da proposta elaborada pela equipe econômica está disponível em português. 

Em 2018, o Brasil foi engolido pelo caos quando caminhoneiros descontentes chamaram um greve nacional . Durante, os manifestantes bloqueados como principais estradas e como mercadorias não saíram dos produtos, à medida que protegem as partes de alimentos e várias partes do país. Os produtores agrícolas incorreram em principais de bilhões de anos em sua produção, pois o gado morreu de fome, os produtos lácteos estragaram e os embarques foram atrasados.

Então, quando os caminhoneiros dos ainda caminhoneiros pediram um protesto em 1º de fevereiro – citando preços altos de diesel de frete baixo e preços altos entre outros queixas – muitos preparado para o pior .

Mais de 60 por cento de toda a carga no Brasil é transportadoras por caminhões. Se o petróleo bruto e o minério de ferro foram removidos – que são transportados em grande parte pelo país por trens – essa taxa aumenta para 90%.

Além disso, em meio a uma pandemia mortal, uma nova greve de caminhoneiros pode atrapalhar a distribuição de vacinas, interromper rotas comerciais e prejudicar a receita de famílias que ficaram em pior situação com o fim do programa de ajuda COVID-19 do governador.

Mas, depois que o país saiu da cama no primeiro dia de fevereiro temendo o, a prometida greve dos caminhoneiros pior não foi nada menos que um grande fracasso.

Apenas alguns bloqueios foram informados em quatro estados, mas foram rapidamente esclarecido . O porto de Santos ou o movimento para o porto de Santos, o porto do Brasil, tiveram mais alterados, e os poucos protestos como o alvo de e o estado de São Paulo, o governador João Doria em oposição ao governo federal.

Fonte: https://www.gazetamineira.com.br/brasil/quina-aposta-unica-leva-premio-de-r-134-milhoes/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.