Brincar e necessidades especiais

Brincar e necessidades especiais

“Ele só fica quieto, isso é tudo que ele pode fazer” disse a triste senhora. Mas um passarinho cruzou o quarto, e os seus olhos tremeram um pouco.

Ele o percebeu, ele tem um tipo de sensibilidade e nos capturamos o seu sinal. Apesar de todas suas limitações, ele reagiu a um estímulo. Então vamos tentar chegar a sua alma. A alegria pode deixá-la brilhar. Vamos brincar com ele.

O sentimento de alegria traz a nossa melhor parte e nos tornamos melhores quando estamos felizes. O poder regenerador da felicidade é um fator preponderante para liberar e aumentar o nosso potencial, nos dando mais coragem para aceitar desafios, motivação para ousar criar e nos faz dar o importante primeiro passo para fazer alguma coisa.

Brincar é participar, aceitar um convite, mas nem sempre o convite chega à pessoa. Às vezes o brinquedo ou o parceiro permance desconhecido. A comunicação entre os participantes pode não contecer por causa de uma situação especial que necessita atenção. Qual poderia ser o motivo que impede a comunicação? Talvez se nos aprofundarmos nas relações com o parceiro da brincadeira poderemos descobrir.

Vamos dar uma atenção especial a esta situação. As necessidades especiais podem ser físicas, de percepção, intelectuais ou emocionais. Deve ter uma causa esse impedimento, mas não importa a origem, uma estrada precisa ser construída, porque um encotro tem que acontecer. Talvez vamos ter que encontrar o caminho sozinhos, mas alcançar o outro lado da estrada da comunicação é o que realmente importa.

Vamos dar conta dessa necessidade especial. Para cumprir essa tarefa, precisamos ir fundo e certamente uma quantidade de coisas valiosas vão acontecer ao longo dessa viagem. Todos os envolvidos nesse tipo de relacionamento na brincadeira vão ser enriquecidos. Afinal, tratando-se de necessidades especiais, quem não tem alguma?

Brincar é uma maneira muito eficiente para promover o conhecimento aumentar a habilidade de raciocínio.