Carta de Qualidade das Ludotecas Francesas

Carta de Qualidade das Ludotecas Francesas

Organizada pela Associação das Ludotecas Francesas, ALF, em 2003, esta carta vem a ser um quadro de referência para todas as ludotecas Francesas.

Fruto de uma reflexão em conjunto sobre a prática quotidiana, não se constitui em um regulamento propriamente dito, a ser cumprido, mas trata da formulação das principais condições de implantação e funcionamento de uma ludoteca, com base em sólidos critérios de qualidade, assegurando seu reconhecimento social.

Aborda 11 temas gerais: Ética e papel de uma ludoteca; projeto (desde a criação às ações a médio e longo prazo); Parcerias; Tipos de serviços oferecidos; Locais/Espaços; Jogos/Brinquedos; Funcionamento; Público(s); Acolhida e Comunicação.

De forma clara e didática caracteriza cada item e fornece orientação específica para seu desenvolvimento adequado.

Ética e papel de uma ludoteca:

  • Ter o brincar e o brinquedo no centro de todo projeto ou atividade.
  • Promover a atividade lúdica e o prazer de brincar.
  • Favorecer e promover o brincar livre (livre escolha do material, de sua utilização, dos parceiros), saber estar presente sem intervir, respeitar o jogo e o não jogo.
  • Saber brincar com os jogos apresentá-los, transmitir as regras e adaptá-los aos diferentes públicos (idades, handicaps…) e as diferentes situações.
  • Garantir as regras dos jogos, as regras do lugar e o respeito entre os jogadores.
  • Valorizar o patrimônio lúdico, possuindo jogos de diferentes épocas e de diferentes culturas.
  • Permitir a experiência de uma grande diverdidade de jogos e para favorecer o espiríto crítico.
  • Preservar o brincar das recuperações pedagógicas, terapêuticas, comerciais e ideológicas.
  • Ficar vigilante à manutenção da neutralidade do espaço da ludoteca.
  • Informar-se sobre as condições da fabricação dos jogos e brinquedos.

Projeto – desde a criação às ações a médio e longo prazo

  • Fazer um diagnóstico prévio: estudo do meio e das necessidades.
  • Definir os objetivos a atingir (gerais, específicos a curto ou longo termo) e as prioridades.
  • Determinar as ações a realizar e estabelecer um plano de trabalho.
  • Definir e buscar os meios necessários (humanos, financeiros, materiais…). Analisar a viabilidade das ações.
  • Redigir um projeto coerente e adequado ao diagnóstico, levando em conta as diferentes etapas de realização e o orçamento.
  • Saber apresentar e definir seu projeto.
  • Conduzir e supervisionar as ações de acordo com os objetivos propostos.
  • Prever avaliações durante o curso da ação (a médio e longo termo) para reajustar, se necessário.
  • Prever ocasiões de reuniões entre os diferentes atores responsáveis pelo projeto, assim como um balanço das atividades do projeto.
  • Realizar uma avaliação quantitativa e qualitativa.

Parcerias

  • Afirmar sua identidade ludoteca frente aos parceiros.
  • Participar ativamente da rede de ludotecas, desenvolver permutas e colocar em ação ações comuns. Filiar-se à rede nacional das ludotecas.
  • Identificar parceiros potenciais (institucionais e associativos), no setor geográfico da implantação, tomar conhecimento de seu funcionamento e missão.
  • Fazer-se conhecer por estes parceiros potenciais, entrando em contato com as diversas instituições e estruturas das redondezas da ludoteca.
  • Identificar diferentes possíveis financiadores, seus campos de intervenção e suas exigências.
  • Conhecer orientações e escolhas políticas das coletividades territorias (municípios, departamentos, regiões).
  • Conhecer o ambiente circundante sóciocultural, educativo e situar-se de forma complementar.
  • Desenvolver parcerias com outras estruturas, construindo projetos comuns, ou participando de atividades desenvolvidas por elas.
  • Estabelecer laços, ver parceiros nos profissionais do brincar e do brinquedo (criadores, distribuidores, fabricantes…).
  • Definir o lugar e as atividades de cada um dos parceiros.

Equipe

  • Possuir pessoal assalariado diplomado.
  • Possuir pessoal em número suficiente em função do projeto e das atividades.
  • Possuir pessoal qualificado nos domínios das atividades exercidas.
  • Definir papéis, tarefas e responsabilidades de cada um.
  • Favorecer a complementaridade das competências e a combinação.
  • Aderir ao projeto da ludoteca.
  • Criar uma equipe dinâmica e motivar o pessoal.
  • Participar das ações de formação contínua nos domínios do brincar, do brinquedo e das ludotecas.
  • Fazer reuniões regulares com a equipe.
  • Favorecer a estabilidade da equipe.

Tipos de serviços oferecidos

  • Preço gratuito ou pago.
  • Brincar livre no local.
  • Brincar no local com animação
  • Organizações de manifestações e criação de animações temáticas à volta do jogo ou de brinquedo.
  • Animação de jogos em meio externo e em outras estruturas.
  • Atelier de fabricação e de criação de jogos.
  • Documentação, informação, conselho relativo ao jogo (escolha, utilização, interesse…)
  • Formação sobre o jogo, o brinquedo e a atividade lúdica, acolhida a estagiários a portadores de projetos.
  • “Ludobus” e outros serviços itinerantes.
  • Testes de jogos e brinquedos.

Locais e espaços

  • Ter locais reservados unicamente à ludoteca e dispor de um espaço exterior para brincar.
  • Dispor de superfície de tamanho suficiente às atividades e aos diversos públicos acolhidos.
  • Possuir os tipos de locais necessários para o funcionamento da estrutura (locais para a acolhida do público, locais técnicos, administrativos, sanitários…)
  • Facilitar o acesso da ludoteca ao público: proximidade dos locais de moradia, transportes públicos, estacionamento…
  • Dispor de locais acessíveis a todos (cadeiras de rodas, carrinhos de bebê, etc…)
  • Dispor de locais claros, ensolarados, isolados, arejados.
  • Respeitar as regras de segurança e de higiene.
  • Organizar os espaços abertos ao público em função das idades, dos tipos de atividades e dos serviços oferecidos.
  • Possuir locais atraentes (cores, elementos decorativos, estética do mobiliário, limpos, em ordem…)

Acervo de jogos e brinquedos

  • Possuir um bom conhecimento material, técnico, psicológico, pedagógico, histórico, cultural dos jogos e brinquedos e atualizar esses conhecimentos.
  • Dispor de matrial lúdico diversificado e em quantidade suficiente, em relação aos projetos, às atividades e aos diversos públicos acolhidos.
  • Propor material lúdico condizente às normas de segurança.
  • Ter jogos e brinquedos em bom estado, completos, brm condicionados e limpos.
  • Preparar a utilização dos jogos e brinquedos: proteção, cotação inventário, registro, marcação, aprendizagem do jogo.
  • Utilizar uma classificação comum às ludotecas para analisar o material lúdico.
  • Utilizar um método de arrumar os jogos e brinquedos adaptados aos diversos públicos (indicação simples e acessibilidade).
  • Gerenciar o estoque dos jogos e brinquedos desde o momento da compra ao desuso (conhecimento do estado de estoque, renovação regular…)
  • Divulgar, promover e valorizar todos os elementos do fundo de jogos/brinquedos.
  • Conhecer as diferentes redes de fabricação, da edição, de distribuição do material lúdico e os autores dos jogos.

Funcionamento

  • Ter um regulamento interno.
  • Ter dias e horas de abertura regular, adaptados aos públicos visados e aos projetos.
  • Estabelecer um emprego do tempo; abertura aos públicos diversos, acolhida às coletividades, intervenções exteriores, manifestações, arrumação do espaço lúdico, conservação e manutenção do material lúdico, entretenimento.
  • Ter tarifas (adesão, preço) acessíveis a todos.
  • Ter tempo específico e suficiente para a seleção, a descoberta, a aprendizagem, a preparação e gestão do material lúdico, a organização dos locais…
  • Manter um controle rigoroso e estatístico da frequência do público, dos empréstimos, das adesões.
  • Manter adequação entre os projetos e os orçamentos e fazer um relatório anual das atividades.
  • Conhecer a legislação em vigor (locais públicos atividades…).
  • Assegurar ou participar da gestão administrativa e financeira da estrutura, assim como da gestão do pessoal.
  • Estar equipado com material informatizado, permitindo uma boa gestão da estrutura.

Público

  • Acolher os diferentes públicos de discriminação de idade, cultura, handicaps…
  • Favorecer os reencontros e as trocas entre esses públicos.
  • Ter escuta as expectativas desses diferentes públicos e saber adaptar-se às suas solicitações.
  • Possuir conhecimentos sobre o desenvolvimento infantil, a psicologia, as particularidades específicas dos diversos públicos.
  • Respeitar o ritmo e as competências dos públicos em sua apropriação do jogo.
  • Responsabilizar o público pela utilização do jogo.
  • Permitir aos jogadores o participar do conhecimento e o saber se conduzir referentes ao jogo, respeitando suas regras.
  • Ir ao encontro de novos públicos.
  • Favorecer a participação de agregados na vida da ludoteca.

Acolhida

  • Ter uma pessoa disponível para a acolhida.
  • Ter um ponto de acolhida identificado e arrumado para tal.
  • Estar disponível e ter uma atitude acolhedora.
  • Apresentar as regras gerais e o funcionamento da ludoteca.
  • Ter um bom conhecimento do público para poder personalizar a acolhida.
  • Organizar o espaço, selecionar e prepar os jogos e brinquedos em função dos públicos atendidos.
  • Estar atento ao que se passa observar e criar condições que permitam a cada um encontrar seu lugar em relação aos demais.
  • Dar prova de flexibilidade e tolerância, adaptando-se caso a caso, tudo fazendo a fim, de respeitar o regulamento interno.
  • Saber escutar sem julgar e permancer discreto.
  • Ter o cuidado de permanecer em seu papel de ludotecário e, em função das solicitações, orientar para os demais profissionais.

Comunicação

  • Dar-se uma identificação específica.
  • Saber apresentar a ludoteca e seu funcionamento.
  • Difundir uma plaqueta de apresentação da ludoteca e de seu funcionamento.
  • Ter uma boa sinalização, permitindo localizar a ludoteca.
  • Afixar diversas informações sobre o funcionamento, na entrada e no interior da ludoteca.
  • Figurar nos catálogos acessíveis ao público e nos profissionais, sob a denominação ludoteca. Equipar-se de aparelhos, de comunicação (telefone, fax, internet…)
  • Manter relações regulares com as mídias, com os financiadores e os parceiros.
  • Organizar manifestações abertas a todos e participar de eventos da vida local com a finalidade de promover a ludoteca.
  • Informar as manifestações através de dispositivos particulares como quadros, avisos…
  • Arquivar e pôr à disposição a relação dos eventos realizados na ludoteca (artigos da imprensa, fotos…).

Tradução: Profª Vera Barros de Oliveira