A coragem de errar

A coragem de errar

Gothe já dizia que toda busca envolve vários erros. Quem não tem coragem de errar não dá um passo para o novo, e prefere trilhar os caminhos que já foram trilhados, citando e analisando o que já foi dito antes.

É preciso livrar-se do compromisso com o êxito para poder criar. O êxito como objetivo é castrador da criatividade e pode até significar concessão à mediocridade.

A coragem de criar passa pela coragem de errar, no sentido de correr o risco de não ter êxito. Embora sem ter alcançado sucesso, uma experiência pode ser muito valiosa e representar um aprendizado significativo e transformador.

O conceito de êxito varia de acordo com a escala de valores que se tem como referência.

A necessidade de êxito está ligada à necessidade de admiração e esta, por sua vez, à necessidade de afeto, portanto, para não ter medo de errar, é preciso sentir-se aceito e estar afetivamente seguro, o que não é possível se o contexto não for favorável.

Dentro de sistemas competitivos, o êxito é indispensável e depende, muitas vezes, de que se cumpram as regras estabelecidas pelo sistema.

Nylse Cunha